Depoimentos

Balões de diálogo"Gostei muito de ler seu blog. Gostaria de contar que fiz um tratamento dentário terrível, tive várias infecções de gengiva, e quando voltava para casa tinha muita dor. Aí descobri que havia alguns filmes no YouTube com sinos tibetanos e comecei a ouvir. A diferença é sensacional. A partir da primeira vez, usei em todas as etapas de cirurgias e fui sempre bem, tive ótima recuperação. Embora ainda tenha o problema e possivelmente vou ter mais tratamentos pela frente. De todo jeito, a ação dos sinos é super agradável e tira a dor rápido, é praticamente igual a tomar um remédio anti-inflamatório."
C. L. - enviado por e-mail em 22/10/2016

"Minha relação com meu pai está infinitamente melhor, graças a você!!! Gratidão eterna _/\_ _/\_ _/\_ Essa foto é de ontem. Há quanto tempo eu não o via com um sorrisão desses… e há quanto tempo não nos abraçávamos!"
A. R. cliente de terapia - enviado por WhatsApp em 20/10/2016

"Foi aí que eu voltei para os Estados Unidos e comecei a fazer terapia."
Krishna Das no livro Cantar para Viver - Minha busca por um coração de ouro, pg 158

"O enorme interesse que vem se manifestando recentemente pelos tratamentos alternativos - para não mencionar disciplinas como a psiconeuroimunologia - tem deixado bem claro que os estados internos da pessoa (suas emoções, atitudes psicológicas, fantasias e intenções) exercem um papel crucial tanto na causa como na cura até mesmo de doenças físicas."
Ken Wilber no livro A Visão Integral, pg 92

"Passei boa parte da vida duvidando da eficácia da terapia. Hoje, contra a parede, vejo que pode ser extremamente útil. Gostaria de visitar departamentos de oncologia explicando isso para pacientes que tentam resistir sozinhos."
Randy Paush no livro A Lição Final, pg 227

''... foi Ödsal, o monge tibetano de quem cuidei devido a uma doença cardíaca que me apresentou às tigelas cantantes tibetanas. Logo na primeira vez em que ouvi as vibrações sonoras produzidas pelas tigelas, eu soube que havia encontrado um dos mais poderosos instrumentos de cura que eu jamais havia conhecido."
Dr. Mitchell L. Gaynor no livro Sons que Curam, pg 93

"... Uma das outras lições que aprendemos pela dura experiência nas últimas décadas é que, se não trabalhamos com a sombra, praticamente todos os outros módulos (da prática de vida integral) podem ser sabotados, e o pior de tudo é que por nossos próprios motivos inconscientes.
'Sombra' é um termo que representa o inconsciente pessoal ou o material psicológico que reprimimos, negamos, nos dissociamos ou rejeitamos. Infelizmente, negar esse material não faz com que ele vá embora; pelo contrário, ele volta para nos perturbar com dolorosos sintomas neuróticos, obsessões, medos e ansiedades. Trazer esse material à superfície, familiarizar-se com ele e apropriar-se dele é necessário não apenas para a eliminação dos sintomas dolorosos, mas também para a formação de uma auto-imagem mais verdadeira e saudável."
Ken Wilber no livro A Visão Integral, pg 183

"... A segunda (dádiva do Budismo) é ajudar as pessoas a confiarem em si próprias, oferecer a elas tecnologia e know-how para que andem com as próprias pernas. Ajudar as pessoas com o Dharma, para que possam transformar seu medo, sua raiva e sua depressão, faz parte do segundo tipo de dádiva."
Thich Nhât Hanh no livro Os Cinco Treinamentos para a Mente Alerta, pg 39-40

"Muitas vezes os alunos que trazem em si uma mágoa profunda do passado são incapazes de praticar alegres a Yoga, porque em todos os seus pensamentos ficam se lembrando da dor. O pensamento produtivo e criativo fica bloqueado, e eles não conseguem sustentar uma auto-imagem positiva. Costumo aconselhar esses alunos a consultar um terapeuta profissional, porque a terapia é uma das formas pelas quais as pessoas recuperam a confiança na própria capacidade. [...] Para se tornar o seu melhor amigo, use todos os métodos que você tem à disposição para ajudar a si mesmo."
Alice Christensen no livro A Yoga do Coração - Dez princípios éticos para aumentar o bem-estar, a coragem e a confiança, pg 155

"A maior fome que existe é a fome de amor."
Buddha

"Autoconhecimento é autocurar-se."
Irene Carmo Pimenta

"... para cuidar de um ser humano é necessário afetividade, proximidade e não distância e 'superioridade'."
Fátima Mora em entrevista para o Jornalternativo, Ano X, edição 68

"Movimente sua vida, valide sua existência."
Paulo Roberto Cardoso

"O inconsciente comunica-se pelo apelo (linguagem), pelo sintoma."
Paulo Roberto Cardoso

"... a psicanálise (e a mesma coisa vale para qualquer psicoterapia) não tem, nem quer ter uma noção preestabelecida de normalidade. Ou melhor, nosso ideal de normalidade é o estado em que um sujeito se permite realizar suas potencialidades, ou seja, o estado em que nada impede que alguém viva plenamente o que lhe é possível nos limites impostos por sua história e sua constituição. Se a normalidade for definida assim, ela pode perfeitamente ser o alvo de nossas curas."
Contardo Calligaris no livro Cartas a um Jovem Terapeuta, pg 72 e 73

"... Uma psicoterapia é uma experiência que transforma; pode-se sair dela sem o sofrimento do qual a gente se queixava inicialmente, mas ao custo de uma mudança. Na saída, não somos os mesmos sem dor; somos outros, diferentes."
Contardo Calligaris no livro Cartas a um Jovem Terapeuta, pg 73

"... A psicanálise me interessa por sua capacidade de transformar as vidas e atenuar a dor."
Contardo Calligaris no livro Cartas a um Jovem Terapeuta, pg 79

"Seu primeiro compromisso é com as pessoas que confiam em você e trazem para seu consultório uma queixa que pede para ser escutada e, por que não, resolvida. Ou, mais geralmente, seu primeiro compromisso é com a comunidade na qual você presta serviços. E o compromisso é de prestar o melhor serviço possível."
Contardo Calligaris no livro Cartas a um Jovem Terapeuta, pg 98

"... o caráter traumático de um acontecimento não depende de alguma qualidade específica da experiência vivida, mas é um efeito de como, mais tarde, essa experiência pode ou não integrar uma história que faça sentido para o sujeito."
Contardo Calligaris no livro Cartas a um Jovem Terapeuta, pg 137

"... reinterpretar o passado, descobrir (ou inventar) novos sentidos para o que aconteceu é quase sempre uma maneira de mudar nosso presente. Pois, no fim dessa empreitada, sendo o resultado de uma narração diferente, somos mesmos diferentes."
Contardo Calligaris no livro Cartas a um Jovem Terapeuta, pg 138 e 139

"Duas razões, então, para que façamos o esforço de evocar o passado, em cada cura: para reinventar o sentido de uma história e para amenizar o peso do futuro, devolvendo assim, quem sabe, seu justo lugar ao presente de nossas vidas."
Contardo Calligaris no livro Cartas a um Jovem Terapeuta, pg 140

"Curando o espírito, cura-se a mente, cura-se o emocional e cura-se o físico."
Fabio Mocci

“Precisamos analisar mais nossas vidas passadas[…]. Cada vida é composta do que aconteceu antes, assim como o que ocorreu na infância pode ser a base para a maneira como agimos mais tarde. Com frequência, essas vidas passadas influenciam subconscientemente a maneira como reagimos a certas pessoas ou experiências, a importância ou a ausência de importância que atribuímos a nós mesmos e muitas singularidades de nossa personalidade.”
D. J. Conway no livro Pêndulos - Magia e Ritual, pg 80

“[...] a maneira como elas (as vidas passadas) influenciam a vida atual pode deixá-lo mais livre e ser esclarecedor se você levar o assunto a sério. Saber a origem de certos hábitos e anseios pode ajudá-lo a criar mudanças positivas em si mesmo. [...] O objetivo fundamental de investigar vidas passadas deve ser fazer mudanças pessoais positivas e reviver antigos talentos.”
D. J. Conway no livro Pêndulos - Magia e Ritual, pg 84

 
Cadastre seu e-mail para receber meus textos e informações sobre meus serviços.